Segurança e comércio realizado por ambulantes foram temas da ACIPG nos Bairros

Esse foi o último encontro de levantamento de demandas na Nova Rússia

 A reunião do projeto ACIPG nos Bairros da região da Nova Rússia teve seu encerramento da fase de demandas na noite de quarta-feira (2). O encontro aconteceu na sede da Sicredi e reuniu empresários de diferentes setores que puderam dialogar com autoridades e Poder Público.

A segurança foi novamente um dos principais temas da reunião. Representando a Polícia Militar, o capitão Fábio Cantelli esclareceu dúvidas dos lojistas e membros da indústria, relatando quais os problemas enfrentados pela corporação e que acarretam dificuldade no atendimento a todas as áreas. “Essas reuniões são importantes para aproximar a PM do cidadão, é bom para mostrar que não estamos alheios às necessidades deles e também para apresentar a real situação da polícia como quantidade de viaturas disponíveis e efetivo de policiais”, explicou. Segundo ele o atual efetivo da PM em Ponta Grossa é próximo ao que havia há 30 anos.

Outro assunto que foi debatido na reunião e que representa uma demanda diferente das anteriores é o comércio ilegal de ambulantes. A reclamação foi feita por lojistas que questionaram os servidores da Prefeitura presentes no evento sobre possíveis ações que possam diminuir a concorrência desleal. “A pessoa para em frente à minha loja e vende o mesmo produto mais barato, porque ele não paga aluguel e nem imposto”, relatou um lojista. Os representantes da secretaria de Industria e Comércio e de Urbanismo da Prefeitura de Ponta Grossa se comprometeram a auxiliar na questão, justificando que há um estudo dentro do Executivo para que a Guarda Municipal possa começar a auxiliar na fiscalização de ambulantes. Ainda de acordo com eles, a questão de alimentação como food trucks e trailers também deverá passar por regulamentação em breve.

O presidente da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (ACIPG), Douglas Taques Fonseca, ressaltou o papel da entidade nesse diálogo entre a população e órgãos públicos, lembrando que a segurança é uma obrigação que deve ser cobrada do Governo do Estado. “Há um descaso dos políticos e não adianta culpar a crise porque nada mudou em 30 anos. A Prefeitura fica quebrando galho, mas não é obrigação dela. É do Estado, temos que cobrar”, disse.

O diretor de Bairros da ACIPG, Sergio Jasinski, encerrou a reunião reforçando que alguns dos pedidos da comunidade já estão sendo atendidos, como o binário das ruas Rio de Janeiro e Minas Gerais, além de uma intensificação no patrulhamento na região. “Estamos acompanhando as demandas levantadas e sempre solicitando atenção do Poder Público. Contudo temos que ressaltar a integração que as reuniões promoveram entre os empresários, muitas empresas passaram a trocar informações, experiências, interagir mais e cuidar umas das outras. Foi a ACIPG nos Bairros que proporcionou isso”, finalizou.

 

%d blogueiros gostam disto: