Secretário reclama de baixo orçamento para vereadores

Luís Carlos Pimentel

O secretário municipal de Cidadania e Segurança Pública, major Ari Lovato, reclama de sua Pasta receber apenas R$ 1,6% do orçamento municipal. “Fazemos o que podemos com o reduzido recurso”, diz. Lovato esteve nesta segunda-feira, 21, falando aos vereadores das dificuldades que enfrenta. “Em quatro anos, não compramos um pneu. Não fora a parceria com a Receita Federal seria difícil”.

Apesar das dificuldades, os obstáculos têm sido superados. Aponta que na primeira semana deste mês a Guarda Municipal registrou o mais baixo índice de ocorrências (45), o menor desde 2013, quando assumiu a festa. O marco deu-se uma semana antes do arrastão verificado no Boteco da Visconde – Visconde do Sinimbu, São José – por volta das 23 horas de terça-feira, 10, que, afora esse fato, não apresentou casos alarmantes, com 40 registros, também abaixo da média semanal de anos anteriores.

Lovato apresenta números que demonstram que o Município vem avançando na Segurança Pública apesar da falta de verbas que poderiam levar a respostas mais positivas à sociedade ponta-grossense.  Em 2013 a cidade tinha seis câmeras de monitoramento; atualmente, são 36 instrumentos que cobrem a área central e pontos em que a incidência de crimes é maior.

O secretário ressalta ainda a criação da Ouvidoria, seguida da Corregedoria. “Diversos procedimentos foram instaurados para averiguar possíveis deslizes dos guardas municipais. Nada que chegue à Ouvidoria fica sem diligências”, garante.

Terror

Ari Lovato comenta o uso indevido de redes sociais. Pelo que se deu logo depois de a Polícia Militar ter chegado a um dos autores do arrastão registrado no Boteco da Visconde, Vinícius Jesus Lemes, 25 anos, então foragido da Penitenciária Estadual de Ponta Grossa onde cumpria pena por tráfico e assaltos.

O meliante reagiu à voz de prisão atirando contra a equipe policial, sendo morto no revide dos agentes da Segurança. Inúmeros compartilhamentos ocorreram de uma mensagem supostamente postada por membro do grupo criminoso PPC, aludindo que haveria uma resposta daquela organização pela morte de Vinícius, também citado como integrante daquele braço do crime organizado, o que não se comprovou.

Outros dois autores do crime foram presos pela Polícia Civil, restando a localização de outros membros da quadrilha de Vinícius, o que deverá ocorrer em dias, entende Ari Lovato.

 

%d blogueiros gostam disto: