Propostas de PG serão discutidas na Conferência Nacional das Cidades

As demandas sugeridas pelo Município na conferência estadual foram aprovadas e poderão transformar-se em políticas públicas nacionais

A delegação ponta-grossense que representou o município na 6ª Conferência Estadual das Cidades, realizada em Foz do Iguaçu na semana passada, voltou com notícias positivas. As propostas definidas na conferência municipal e apresentadas na estadual foram aprovadas e seguirão para discussão na Conferência Nacional das Cidades – podendo transformar-se em políticas públicas brasileiras.

Também foram definidos os representantes paranaenses para os próximos eventos. Um dos diretores da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA), Neymar de Meira Albach, foi eleito suplente para representar a Associação dos Municípios dos Campos Gerais (AMCG) no Conselho Estadual das Cidades do Paraná. Já na Conferência Nacional das Cidades – que ainda não tem data definida – o delegado eleito para representar a região foi Sergio Rodrigues da Luz Delgado, de Carambeí.

Participaram do encontro os delegados eleitos no evento municipal, e de Ponta Grossa foram enviados participantes de entidades profissionais, acadêmicas e de pesquisa, organizações não-governamentais (ONGs), trabalhadores, movimentos populares e representantes governo municipal.

 

Propostas de Ponta Grossa

As propostas aprovadas no evento estadual foram desenvolvidas na 6ª Conferência Municipal da Cidade, realizada em 2016; agora, elas seguem para discussão na conferência nacional. São elas:

1 – Desenvolver programa socioeducativo multidisciplinar de gestão participativa com foco na conservação dos recursos hídricos integrando os diversos setores da sociedade, com suporte financeiro via compensação ambiental.

2 – Revisar a legislação vigente relativa ao transporte público, criando um mecanismo que garanta que as decisões (como as definições de tarifas, a contratação de concessionárias e outros) sejam realizadas com responsabilidade social e transparência, com participação popular e com embasamento técnico, nos âmbitos municipal, estadual e nacional.

3 – Divulgar os resultados das Conferências da Cidade junto às Instituições de Ensino Fundamental, Médio e Superior, estimulando atividades de extensão, promovendo a pedagogia urbana.

Este slideshow necessita de JavaScript.

%d blogueiros gostam disto: