Programa que incentiva diversificação será renovado nos três Estados do Sul

SindiTabaco estima que R$ 600 milhões foram injetados na economia com o plantio de milho, feijão e soja na resteva do tabaco na última safra.

Aproveitando a Abertura da Colheita do Tabaco que será realizada em Venâncio Aires (RS), no dia 27 de outubro, será renovado no Rio Grande do Sul o convênio do Programa Milho, Feijão e Pastagens após a colheita do tabaco. O programa incentiva a diversificação e a otimização no aproveitamento dos recursos das propriedades rurais e terá continuidade também em Santa Catarina e no Paraná. Em Santa Catarina, o convênio será renovado no dia 09 de novembro, às 9 horas, na sede da Secretaria de Agricultura e Pesca, em Florianópolis. Já no Paraná o convênio tem duração de dois anos e segue até 2018.

Na safrinha de 2017, o cultivo após a colheita do tabaco rendeu aos produtores R$ 415 milhões em milho, R$ 128 milhões em feijão e R$ 57 milhões em soja. Além dos rendimentos, o plantio após a colheita do tabaco reduz os custos de produção dos grãos e pastagens, pois ocorre o aproveitamento residual dos fertilizantes aplicados. Consequentemente, pode haver redução de custo na produção de proteína (carne, leite e ovos). Outros benefícios são a proteção do solo contra a erosão e a interrupção do ciclo de proliferação de pragas e ervas daninhas.

Conduzida pelo Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco), a ação reúne a estrutura de campo das empresas associadas e das entidades apoiadoras para divulgar as vantagens do plantio da safrinha e incentivar a prática de diversificação da propriedade.

São parceiros o governo dos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, além da Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), e das Federações da Agricultura e dos Trabalhadores na Agricultura dos três Estados. No Rio Grande do Sul também participam do convênio a Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (Fepagro), a Associação Gaúcha de Avicultura (ASGAV) e o Sindicato da Indústria de Produtos Suínos (SIPS). Já no Paraná, o Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) é parceiro da iniciativa do setor do tabaco.

ABERTURA DA COLHEITA

A partir deste ano, o início da colheita do tabaco passa a contar com um evento festivo. É no dia 27 de outubro que ocorre em Venâncio Aires (RS), às 15 horas, a primeira edição da Abertura da Colheita do Tabaco. O evento, na localidade de Estância Nova, é uma iniciativa da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Irrigação (Seapi) do Rio Grande do Sul, com o apoio do SindiTabaco, Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) e prefeitura de Venâncio Aires. Realizada próximo ao Dia do Produtor de Tabaco, comemorado em 28 de outubro, a festividade também celebra a importância das 150 mil famílias dedicadas à produção. O governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, e o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira de Oliveira, confirmaram presença.

AGENDA

27/10, 15 horas: assinatura do convênio em Venâncio Aires (RS), durante a abertura da colheita do tabaco

09/11, 9 horas: assinatura do convênio em Florianópolis (SC), no gabinete do secretário de Agricultura e Pesca de SC

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: