Prefeitura de PG deverá notificar comerciantes sobre retirada de estacionamento

Vereador Vinícius Camargo (PMB) quer que comerciantes sejam avisados com 180 dias de antecedência e defende que retirada só pode ser realizada após estudos técnicos.
O vereador Vinícius Camargo (PMB) propôs o cumprimento de uma série de requisitos para que a Prefeitura possa retirar vagas de estacionamento das áreas comerciais de Ponta Grossa. O parlamentar é autor do projeto de lei (PL) 188/2017 que tramita no Legislativo Municipal e prevê critérios que deverão ser obedecidos pelo Executivo na possível retirada de vagas de estacionamento, entre eles a realização de estudos que comprovem tal necessidade.
O texto propõe que as vagas de estacionamento, sejam elas de Estacionamento Regulamentado (EstaR) ou não, só poderão ser retiradas pelo órgão competente após o cumprimento de três critérios. O primeiro deles diz respeito a necessidade relevante de tal ação para a melhoria do trânsito, o segundo aspecto obriga o município a notificar os comerciantes da área com pelo menos 180 dias de antecedência e, por fim, o último aspecto prevê um estudo técnico que comprove que a retirada de vagas é a única saída possível.
Na justificativa do projeto, Vinícius lembra que a retirada de vagas de áreas comerciais deve ser o “último recurso” na tentativa de melhorar o trânsito. “Prova disso é que a retirada de vagas da área central de PG gerou protestos e fez com que empresas sentissem queda no movimento e, consequentemente, fechassem as portas, provocando o aumento do desemprego que já é grande”, comentou o parlamentar.
A proposta de Vinícius Camargo (PMB) vai de encontro as demandas dos empresários que tem sido prejudicados pela retirada de vagas. “Existem medidas alternativas para melhorar o trânsito e defendemos que a retirada de vagas seja a última opção adotada pela Prefeitura neste caso”, explicou o vereador.
Vereador defende mecanismo 
Vinícius Camargo (PMB) fez elogios ao trabalho do Presidente da Autarquia Municipal de Trânsito e Transporte (AMTT), Roberto Pelissari, mas lembrou que, caso aprovado, o projeto se torna um mecanismo perene para o setor. “Defendo a aprovação da lei para que as mudanças no trânsito da cidade sejam resultado de um diálogo mais aberto entre o Poder Público e a comunidade e que, por fim, não prejudiquem a população”, explicou o vereador.
%d blogueiros gostam disto: