Ponta Grossa articula monitoramento integral

Secretaria Municipal de Cidadania e Segurança Pública projeta ampliar para toda a cidade, em parceria com a comunidade, estrutura de vigilância eletrônica

O secretário municipal de Cidadania e Segurança Pública (SMCSP), Ary Lovato anunciou, nesta segunda-feira (24), que já está em processamento um projeto para ampliar “para praticamente toda a cidade” a cobertura do monitoramento eletrônico. Atualmente, a cidade já dispõe de 36 câmeras, conectadas a uma Central de Monitoramento, coordenada pelo Departamento de Tecnologia da SMCSP. Com a articulação de parcerias com a comunidade – associações de moradores, por exemplo – serão instalados novos sistemas de câmeras, todos interligados à mesma Central. Nessa central as imagens são avaliadas em tempo real por Guardas Municipais e, havendo movimentação suspeita ou indícios de atividade criminosa, são acionadas as equipes de reação tanto da Guarda Municipal como, eventualmente, das demais forças de segurança, especialmente a Polícia Militar. Hoje a Central de Monitoramento funciona em área contígua à do Centro de Operações Policiais Militares (COPOM), da PM, que recebe os chamados pelo telefone 190. Os acionamentos da Guarda Municipal, pelo número 153, são também acompanhados por observação dos locais em que há o registro da ocorrência e áreas próximas.

De acordo com Carlos Henrique Salomon Pinto, diretor do Departamento de Tecnologia da Secretaria, já existem condições para a inclusão de novos sistemas de câmeras à central instalada pelo município. No entanto, esses sistemas, incluindo câmeras, localização, manejo, serão fornecidos pelos parceiros. “Acreditamos que parcerias com associações de moradores são extremamente válidas. As comunidades, os bairros e vilas, desejam mais segurança e essa é uma forma co-participativa, inteligente e ágil de oferecer aos moradores, de praticamente toda a cidade, um adicional em vigilância e monitoramento”. Solomon antecipa que também está sendo elaborado, além de um projeto que permita a celebração dessas parcerias público-privadas entre o município e associações de bairro, um Guia Técnico que conterá as especificações dos equipamentos que podem ser incorporados à rede municipal de monitoramento eletrônico.

O secretário de Cidadania e Segurança Pública, Ary Lovato, quer celeridade nesse processo e acredita que, a exemplo de algumas solicitações de alguns bairros, outros se interessem em formalizar essa parceria. “Haverá certamente um ganho bastante expressivo em termos de sensação de segurança, por parte dos moradores. E, além disso, uma efetividade muito maior para as necessárias reações das nossas equipes táticas. Quando da ocorrência de um delito, nas áreas monitoradas, imediatamente teremos dados suficientes sobre os indivíduos, seus veículos e seu destino. E isso tornará a vida dos bandidos muito mais difícil, em Ponta Grossa”. Ary também destacou a importância da participação das comunidades no financiamento desse sistema: “obtivemos praticamente 90% dos recursos para instalar a Central de Monitoramento e todo o sistema que hoje funciona muito bem, através de emendas federais. Como o orçamento do município não suportaria esse novo encargo, e como é uma estratégia compartimentada de defesa pública, atingindo principalmente os moradores de cada bairro ou vila participante, é justo e adequado que se proponha esse tipo de parceria”.

 

%d blogueiros gostam disto: