PG ganha mecanismo para o combate à corrupção

Executivo sancionou no último sábado (10) a lei municipal nº 12.981, proposta por Vinícius Camargo, que institui um serviço de disque-denúncia para receber casos de corrupção na esfera pública

Os cidadãos ponta-grossenses passam a contar, a partir desta semana, com um meio para denunciar casos de corrupção e desvios morais na esfera pública. O prefeito Marcelo Rangel (PPS) sancionou, no último sábado (10) a lei municipal nº 12.981, que institui um serviço de disque-denúncia para monitorar o funcionamento dos serviços públicos e receber casos de corrupção e desvio de conduta.

A proposta foi elaborada pelo vereador Vinícius Camargo (PMB) e aprovada em duas discussões pela Câmara de Ponta Grossa. A oficialização do serviço apareceu publicada no Diário Oficial do Município.

De acordo com a publicação, o telefone 156 – de atendimento público da própria Prefeitura – também passará a receber denúncias de corrupção. O canal foi lançado recentemente pelo Poder Executivo para atender e tirar dúvidas da população, mas agora também servirá como um canal direto entre o cidadão e o poder público em relação às denúncias.

Autor do projeto que se transformou em lei, o vereador Vinícius Camargo acredita que a ferramenta irá contribuir com um melhor fiscalização da máquina pública, já que o cidadão poderá fazer isso de casa e preservando a identidade, por exemplo. “Cito como exemplos pequenos desvios éticos e morais cometidos na máquina pública, atos esses que nem sempre movem investigações do Ministério Público, mas devem ganhar uma resposta da própria Prefeitura, como é o caso de uma sindicância, por exemplo”, defende Camargo.

Proposta não gera custos

A implementação do disque-denúncia não gerará nenhum tipo de gasto por parte da prefeitura, já que o serviço funcionará juntamente com o telefone 156. Para Camargo, a medida só traz melhorias na própria máquina pública.

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: