Paraná bate recorde de exportações para Argentina

A Argentina está comprando mais produtos do Paraná. De janeiro a julho, as exportações do Estado para o país vizinho bateram recorde para o período, com US$ 1,17 bilhão, 52% mais do que no mesmo intervalo do ano passado (US$ 769 milhões), de acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), ligada ao Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Os embarques se concentraram em produtos industrializados, como automóveis, caminhões, máquinas, chassis e autopeças.

O país vizinho é o segundo maior destino dos produtos paranaenses, atrás apenas da China. “A diferença é que a pauta de exportações para os argentinos se concentra em produtos da indústria, de maior valor agregado, enquanto os chineses compram principalmente commodities, como soja”, diz Julio Suzuki Júnior, diretor-presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes).

De janeiro a julho, a Argentina respondeu por 10,91% do total exportado pelo Paraná – no mesmo período do ano passado, essa participação foi de 8,31%. A China, por sua vez, é destino de 29,63% de tudo que é exportado pelo Paraná.

INDÚSTRIAS 

Alguns produtos mais que dobraram as exportações para a Argentina em 2017. “De um lado, a Argentina, com a mudança na presidência do País, colocou fim a algumas barreiras e está mais aberta ao mercado internacional. De outro, a indústria paranaense está aproveitando essa brecha para compensar a retração do consumo no Brasil”, diz Suzuki Júnior.

As vendas de chassis e carrocerias para veículos automóveis aumentaram 173,2% nos primeiros sete meses, para US$ 17,5 milhões. As exportações de veículos de carga, principalmente caminhões, cresceram 125,2%, para US$ 159,9 milhões. As vendas de máquinas e aparelhos de terraplanagem e perfuração tiveram evolução de 139,1% e somaram US$ 27,3 milhões.

VEÍCULOS E TRATORES

Principal produto da pauta de exportações do Paraná para a Argentina, os automóveis também tiveram alta nas exportações. As vendas somaram US$ 442,7 milhões, 70,6% mais do que no mesmo período do ano passado. As exportações de carne suína in natura somaram US$ 16,7 milhões – 69% mais na mesma base de comparação. Outro destaque foram as vendas de tratores, com aumento de 23,3%, para US$ 54,72 milhões.

PRODUÇÃO 

O aumento das exportações para a Argentina tem, inclusive, ajudado a impulsionar a produção industrial no Estado. O setor fechou o primeiro semestre com aumento de 2,5% na produção na comparação com o mesmo período do ano passado, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foi o terceiro maior crescimento da indústria de transformação do País, atrás de Santa Catarina (3,3%) e Amazonas (2,7%).

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: