Operação Rondon 2017 da UEPG se despede do Norte Pioneiro

Neste sábado (5), às 10 horas, no Centro Amador de Teatro, em Jacarezinho, a Operação Rondon 2017 se despede da comunidade do Norte Pioneiro do Paraná. Durante duas semanas (23 de julho a 5 de agosto), 240 universitários, entre professores e alunos, levaram ações de promoção social e cidadania à população de 10 municípios da região. Nesse período, foram realizadas mais de 1,2 mil oficinas em escolas públicas e privadas, instituições de atenção à criança e ao adolescente, associações de moradores, grupos de terceira idade, órgãos de assistência social e da saúde, prefeituras e espaços públicos, atingindo cerca de 35 mil pessoas.

A coordenação da Operação Rondon 2017 é da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), em parceria com a Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) e Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste). Ainda participam a Universidades Estadual do Paraná (Unespar), Universidade Estadual de Maringá (UEM), Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) – campi de Cornélio Procópio, Campo Mourão, Londrina e Ponta Grossa, Universidade Positivo (UP), Faculdade Paranaense (Fapar), Centro de Ensino Superior do Campos Gerais (Cescage) e União dos Escoteiros do Brasil (UEB-PR).

A Secretaria de Estado da Ciência Tecnologia e Ensino Superior (SETI) financia a Operação Rondon 2017, por meio do Fundo Paraná, tendo ainda o apoio da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar). O suporte de transporte, alojamento e alimentação é garantido pelas prefeituras. Recebem a operação os municípios de Barra do Jacaré, Cambará, Carlópolis, Conselheiro Mairinck, Jacarezinho, Joaquim Távora, Ribeiro Claro, Siqueira Campos, Santo Antônio da Platina e Wenceslau Braz. Em cada cidade, atuaram equipes de duas instituições, com 24 pessoas, em média.

O secretário de Estado da Ciência Tecnologia e Ensino Superior, João Carlos Gomes, percorreu os 10 municípios, estabelecendo contato com os prefeitos, rondonistas e comunidade assistida. Ele destaca a Operação Rondon regional, como uma das maiores ações extensionistas já desenvolvidas no estado, alcançado mais de 35 mil pessoas. Para se chegar a esse número, ressalta o apoio do governo do Estado, da Sanepar, das prefeituras e das administrações das universidades públicas e particulares que enviaram seus alunos para o Norte Pioneiro do Estado. “É uma operação que leva à população ações sociais destinadas às crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos”, diz.

O coordenador geral da Operação Rondon 2017, professor Mario Cezar Lopes, da UEPG, ressalta o desafio de realizar uma atividade ‘longe de casa’. “A UEPG já promoveu duas edições regionais nos Campos Gerais, em 2015 e em 2016”, comenta, observando que, pelos números, a operação no Norte Pioneiro tomou dimensões de uma operação nacional do Rondon. Sobre essa questão, ele estabelece uma vantagem do Rondon regional, que é justamente a proximidade entre rondonistas e a comunidades, o que permite maior interação. “Ao mesmo tempo em que põem em prática conhecimentos apreendidos em sala de aula, os estudantes aprendem e assimilam experiências da comunidade”.

O professor Marcos de Morais, da Unioeste, afirma que a instituição decidiu promover o Rondon regional junto com a UEPG pela quantidade de municípios que o Paraná tem e podem receber essa operação. “A gente sabe que no Paraná existem diversos municípios que precisam desse trabalho que a gente desenvolve. Então essa parceria só tende a somar; só tende a crescer. Em 2018, a Unioeste pretende sediar o Rondon no Oeste do Paraná”, afirma. A realização de ações semelhantes em várias regiões do estado é uma das propostas da SETI, a partir da experiência na promoção do Rondon regional no Norte Pioneiro.

%d blogueiros gostam disto: