23/12/2016
Governo do Paraná inovou nas ações de saúde em 2016

O Governo do Paraná inovou nas ações de saúde em 2016 para ampliar o atendimento à população e prevenir doenças. A decisão de incorporar a vacina da dengue como estratégia a mais para o controle da doença no Estado foi um dos pontos marcantes do ano.

“O Paraná foi o primeiro das Américas a vacinar gratuitamente contra a dengue e isso só foi possível porque o Governo do Estado teve condições orçamentárias e financeiras para garantir o acesso a esse avanço importante para o controle da doença”, disse o secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto. “Essa decisão demonstra que a saúde tem prioridade máxima no Paraná”, ressaltou.

A aplicação da primeira dose em agosto e setembro deste ano atingiu 200 mil paranaenses, que deverão receber ainda a segunda dose em março de 2017 e a terceira em setembro para garantir a imunização.

“Esse pioneirismo deu ao Estado destaque internacional. O monitoramento dos resultados da campanha de vacinação está sendo coordenado pela Secretaria Estadual da Saúde em parceria com a Organização Pan-Americana (OPAS) e Mundial de Saúde (OMS), Ministério da Saúde e profissionais renomados de epidemiologia”, disse Caputo Neto.

Outro destaque da saúde pública paranaense foi a promoção do Mutirão de Cirurgias. O sucesso da iniciativa retirou da fila de espera por procedimentos cirúrgicos não emergenciais, como catarata, hérnia de disco, cirurgias ortopédicas e ginecológicas, mais de 50 mil cidadãos de todas as regiões do Paraná. “A demanda por cirurgias de catarata praticamente zerou. É desta forma que conduzimos nossas políticas públicas: analisando a necessidade da população para atender as situações críticas com soluções práticas”, diz o secretário.

O repasse de recursos do Tesouro Estadual para desatar nós críticos também abrangeu a ampliação de financiamento aos municípios. Foram destinados R$ 81 milhões para que as prefeituras aplicassem em serviços de média e alta complexidade. Entre as possibilidades de aplicação de recursos, foi possível realizar o Mutirão de Próteses Auditivas, oferecendo conforto e dignidade para pessoas com dificuldades de audição.

As secretarias municipais de Saúde também puderam ampliar a oferta de consultas e exames especializados e pequenas cirurgias ambulatoriais.

Serviço aeromédico
Em 2016, o Governo do Estado também ampliou a atuação do transporte aeromédico estadual. Com quatro bases para atuação dos helicópteros a serviço da Saúde e um avião exclusivo, a área de urgência e emergência ganhou reforço.

Atualmente, todo o território paranaense é coberto pelo atendimento dos helicópteros com as bases de Cascavel, Maringá, Londrina e Curitiba. O avião, que fica baseado na Capital, atende todas as regiões, inclusive com transporte de pacientes e órgãos para transplantes para outros estados, quando necessário.

“O transporte aéreo a serviço da Saúde nos dá possibilidade de colocar o paciente certo, no local certo e no tempo certo. Nessa área, a agilidade de atendimento faz toda diferença para salvar vidas e evitar sequelas tanto em atendimento de acidentes como de urgências médicas”, explica o diretor do Paraná Urgência, Vinicius Filipak.

A estruturação dos serviços de urgência, como Samu, Siate e aeromédico, a retaguarda hospitalar e a capacitação dos profissionais de saúde têm sido determinantes para alcançar resultados importantes.

A mortalidade por acidentes, por exemplo, caiu 21% nos últimos seis anos; a mortalidade por doenças cardiovasculares reduziu em 7,5% e o número de transplantes foi ampliado em 200%.

Unidades de saúde
Para ampliar a qualidade do atendimento mais próximo de onde as pessoas vivem, o Governo do Estado também destinou recursos para as prefeituras aplicarem nas Unidades de Atenção Primária, porta de entrada do Sistema Público de Saúde.

Foram destinadas 491 cotas de R$ 115 mil para que os municípios adquirissem os equipamentos necessários para a unidade funcionar adequadamente, o que movimentou R$ 56,4 milhões em recursos do Tesouro do Estado. Outros R$ 123 milhões foram repassados para que os 399 municípios apliquem na compra de carros para a Saúde.

Cada prefeitura pode decidir qual a melhor aquisição para o transporte de pacientes, entre ambulâncias, vans, veículos pequenos para transporte de equipes ou até mesmo ônibus, quando necessário.

Servidores da Saúde comemoram avanços e se unem em ação solidária
O secretário Michele Caputo Neto reuniu nesta quinta-feira (22) a equipe de servidores para fazer o balanço de atividades do ano e comemorar os resultados das políticas públicas adotadas. No encontro, foram arrecadados presentes de natal para as pessoas atendidas pelo Pequeno Cotolengo.

“É importante comemorar os resultados, mas é muito mais gratificante fazer isso compartilhando nossa alegria com as pessoas que estão em situação de fragilidade. Agradeço o empenho de cada servidor que se prontificou a presentear os atendidos pelo Pequeno Cotolengo”, disse o secretário.

Foram arrecadados mais de 200 presentes, entre brinquedos e roupas solicitados pelas crianças e adultos da instituição.

Segundo o diretor do Pequeno Cotolengo, Padre Renaldo Amauri Lopes, os presentes serão entregues no dia de Natal. “Não esperava tamanho apoio. A Secretaria estadual da Saúde é uma das instituições parceiras e tem nos ajudado a manter um trabalho digno. Esse plus de natal nos emociona e nos auxiliar a continuar praticando o bem às pessoas”, disse.

COMPARTILHAR

ENVIE SEU COMENTÁRIO

NOME:
EMAIL:
MENSAGEM:
*Seu comentário será avaliado e aprovado antes de ser publicado. E somente aprovaremos comentários com o nome completo e o e-mail do leitor.
- As informações e conceitos emitidos em colunas, matérias e artigos assinados são de inteira
responsabilidade de seus autores, não representando necessariamente a opinião do Plantão da Cidade.