22/12/2016

Bancos e Corretoras de Antigamente - Final

Em 1952, era fundado o Banco Mercantil e Industrial do Paraná S/A, com acionistas oriundos do Banco Comercial do Paraná, e que mais tarde se tornaria o Bamerindus.



Diretores do Banco Mercantil e Industrial do Paraná S/A, liderados pelo por Avelino Vieira, e (na esquerda) Augusto Justus, Othon Mader e (na direita) Anacleto Carli.


 

Uma das primeiras propagandas e logomarca do Bamerindus.

Os principais acionistas e fundadores do Banco Mercantil e Industrial do Paraná S/A, em 1952.

Nesta relação, um quadro que mostra todas as 60 unidades financeiras de que resultou, afinal, o Banco Bamerindus do Brasil Sociedade Anônima. Muitos que aí estão são da Região dos Campos Gerais e de Ponta Grossa.

(Clique na imagem para ve-la ampliada)



Nos anos 70, os diretores do Bamerindus com seu presidente Avelino Antônio Vieira (na ponta da mesa). À esquerda na foto, vemos atrás Mathias Vilhena de Andrade, João Scheffer, Nilo Brasil. Em pé, Dr. Mario Nascimento de Paula Xavier, Francisco Cunha Pereira, Miguel de Paula Xavier, Bento Munhoz da Rocha Neto, Augusto Justus e Fernandino Caldeira de Andrada. O primeiro À direita, de óculos, o Dr. Olavo Alberto de Carvalho, Albary Guimarães, Antonio Sad, Egon Krueger,  Laurival Gomes, Oscar Diedrich  e, por último, Flávio Prestes.


 

Confraternização dos diretores do Bamerindus. No centro da mesa, Avelino Vieira, e, no canto direito, os ponta-grossenses Albary Guimarães e Laurival Gomes, entre outros.



Agência do Banco Bamerindus, na  Rua XV de Novembro, nos anos 70,  localizado no  térreo do Edifício Bamerindus.



Construção da agência Bamerindus na Avenida Vicente Machado, esquina com rua Santos Dumont, onde foi a Casa Osternack, em 1982.

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS

  • Carlos Alberto Ozatski: Ingressei no Bamerindus em Ponta Grossa no inicio dos anos 70 como continuo na Ag. Centro. Deixei a organização em 1990 quando era Gerente Titular da Agencia Bacacheri em Curitiba. Minha matricula era de numero 110.
    22/12/2016 21:08

ENVIE SEU COMENTÁRIO

NOME:
EMAIL:
MENSAGEM:
*Seu comentário será avaliado e aprovado antes de ser publicado. E somente aprovaremos comentários com o nome completo e o e-mail do leitor.
17/12/2016

Bancos e Corretoras de Antigamente - Parte 05


O prefeito Romeu Almeida Ribas e o presidente do Banco América do Sul, Fujio Tachibana, com convidados na inauguração da nova agência do América do Sul, em 29 de outubro de 1982. O “Banco dos Japoneses”, agora em sua sede própria, localizada na Rua Paula Xavier, esquina com Rua Dr. Colares.


 

O Banco Inco, nos Anos 60, que teve como gerente Dorval Cordova Wolff, na Rua XV de Novembro.


 

Banco Brasileiro de Descontos S/A, o Bradesco, inaugura a sua agência na Rua XV de Novembro, no final dos Anos 60, sob a gerência de Sérgio Peretti, tendo como subgerente Cláudio Correia Francisco. 
Foi um dos bancos com maior número de correntistas em Ponta Grossa no início dos Anos 70. Na sua inauguração, contou com a presença do diretor do Bradesco, Laudo Natel, que tinha sido governador do Estado de São Paulo.


A Corretora Bieme Distribuidora de Títulos e Valores, pertencente ao grupo Autonal, localizada na Rua 7 de Setembro.


 

Banco do Estado do Paraná S/ABanestado, localizado na Rua XV de Novembro, onde hoje é o Tabelionato Aramis.

Os funcionários do Banestado em 1964, em frente à agência, na Rua XV de Novembro.


 

Propaganda do Banco Comercial do Paraná no fim dos Anos 60. Banco genuinamente ponta-grossense, e que mais tarde seria incorporado pelo Banco Bamerindus.


Banco Brasileiro da Indústria e Comercio, no final dos Anos 60, localizado na Rua XV de Novembro, e que teve como gerente  Ary Kffuri.

Anos depois, foi incorporado ao Banco Bamerindus.



O Banco Popular eAgrícola do Norte do Paraná, fundado em Tomazina em 1929, por Miguel Antônio Vieira, pai de Avelino Antônio Vieira. Se tornaria, em 1952, o Banco Mercantil e Industrial do Paraná S/A e, no início dos Anos 70, em Bamerindus. O Bamerindus tem laços com Ponta Grossa: Seus principais acionistas e fundadores eram ponta-grossenses  e  oriundos do Banco Comercial do Paraná, que acreditaram em Avelino Antônio Vieira, que inclusive morou em Ponta Grossa, de 1942 até 1952, na Rua Engenheiro Schamber, entre a Rua XV de Novembro  e Rua Dr. Colares.

COMPARTILHAR

ENVIE SEU COMENTÁRIO

NOME:
EMAIL:
MENSAGEM:
*Seu comentário será avaliado e aprovado antes de ser publicado. E somente aprovaremos comentários com o nome completo e o e-mail do leitor.
10/12/2016

Bancos e Corretoras de Antigamente - Parte 04


Dia 17 de maio de 1982. O prefeito Romeu Almeida Ribas discursa por ocasião da inauguração da agência na Avenida Vicente Machado, do Unibanco - União de Bancos Brasileiros S/A . Também prestigiando a solenidade, o bispo D. Geraldo Pellanda, ex prefeito Plauto Miró Guimarães, Manoel Pedro Ferreira dos Santos Ribas, o “Manduca” (chefe de gabinete), além de diretores e gerentes do 'Unibanco”.


 

Moderna agência Unibanco, localizada na Avenida Vicente Machado, inaugurada em 17 de maio de 1982.


A Agência Unibanco na Rua XV de Novembro, nos Anos 70, e que teve como gerente, durante anos, Carlos Mazetti Filho, que ficou conhecido de muitos ponta-grossenses.

 

 

O Banco da Lavoura de Minas Gerais, nos Anos 60, localizado na Rua XV de Novembro, no Edifício Dr. Eliseu.


 

Banco Real, nos Anos 70. Também localizado no Edifício Dr. Eliseu.

Corretora de Títulos e Valores Imobiliários Irajá Vargas, em 1975, na Rua Santana.



Em 1985, a Corretora Irajá Vargas na Rua Paula Xavier, esquina com a Rua XV de Novembro.



Banco América do Sul, em 1975, na Avenida Vicente Machado, no Edifício Vila Velha, conhecido como o “Banco dos Japoneses” em Ponta Grossa.



Banco Crefisul de Investimentos, correspondente do Cytibank em Ponta Grossa, em 1983. Localizado na Avenida Vicente Machado, no Edifício Vila Velha.

COMPARTILHAR

ENVIE SEU COMENTÁRIO

NOME:
EMAIL:
MENSAGEM:
*Seu comentário será avaliado e aprovado antes de ser publicado. E somente aprovaremos comentários com o nome completo e o e-mail do leitor.
- As informações e conceitos emitidos em colunas, matérias e artigos assinados são de inteira
responsabilidade de seus autores, não representando necessariamente a opinião do Plantão da Cidade.