26/10/2016

Quanto vale um centavo para você? Descubra se você valoriza seu dinheiro

Decidi postar novamente este texto porque tenho percebido que muitos ainda se recusam a fazer contas básicas! Em razão da falta de noção de alguns consumidores, grandes redes obtêm lucros extraordinários!

Um dia destes comprei um produto que me custou R$ 13,98. Paguei com uma nota de R$ 50,00 o que me daria direito a um troco de R$ 36,02. Recebi apenas R$ 36,00. A atendente agradeceu-me e passou a atender o próximo cliente da fila.

Poderia ter saído normalmente como a maioria das pessoas, mas não o fiz. Fiquei aguardando os centavos restantes sem sucesso. Indaguei a moça do caixa a qual me contestou não ter os dois centavos de troco. Então pedi uma balinha no lugar, porém a resposta foi negativa. Voltei a perguntar:

E se fosse o inverso? O mercado deixaria levar o produto por R$ 13,96? Sem titubear escutei um sonoro NÃO. Então solicitei os meus dois centavos de direito com mais veemência ainda. A atendente chamou a gerente a qual me entregou R$ 0,05. Que desconcertante! Agora quem ficou devendo R$ 0,03 era eu, mas não tinha os míseros centavinhos comigo! Então fui liberado e absolvido da dívida.

Enquanto voltava para o carro comecei a fazer cálculos. É muito interessante colocar nas prateleiras preços quebrados. Quase ninguém espera receber aquele centavinho de troco.

"Esta situação não deve ter acontecido somente comigo, ou seja, o mercado voltar o troco incompleto. Há dezenas de produtos com preços quebrados (colocados estrategicamente é claro!) para quando o consumidor passar no caixa não perceber que inconscientemente deixará de gorjeta dois centavos. Ah! São apenas dois míseros centavos, pensa o consumidor, quem se importa?"

Imaginei que no mínimo, em um supermercado de médio porte, devem passar 1.000 pessoas por dia. Ok, 1.000 pessoas que deixam R$ 0,02 equivalem a R$ 20,00 por dia que multiplicados por 30 dias chegaria a um total de R$ 600,00 ao mês. Hum... Nada mal receber R$ 600,00 limpinho, ou seja, totalmente de graça.

Sendo um pouco mais realista e dependendo do tamanho do supermercado o fluxo de pessoas poderia ser maior. Imaginei um fluxo de 5.000 consumidores dia. Se assim fosse, o supermercado ganharia R$ 100,00 por dia, fechando o mês com R$ 3.000,00. Nada mal mesmo! Multiplicado este valor por 12 meses, chega-se a um valor de R$ 36.000,00 no ano!!!!..... Somente com os dois centavos que o consumidor acredita não ter valor algum. É muito dinheiro!

Note que estamos falando de apenas um supermercado. E quem tem uma rede deles?

Enriquecimento ilícito? Não sei! Quem decidiu deixar os dois centavos ao supermercado foi o próprio consumidor!... ou... induzido inconscientemente por uma estratégia utilizada.

Cada organização usa de estratégias para alcançar seus objetivos. De forma ética ou não, empresas buscam por rentabilidade. As causas dos problemas ou soluções estão nos pequenos detalhes e isso faz todo o sentido.

E então? Quanto vale um centavo para você?

Para finalizar lhe faço um convite. Saiba como você pode criar sua própria rede de negócios. Entre em contato comigo.

Uma boa semana e boa sorte!

Sobre o Autor

SÉRGIO DITKUN é Administrador de empresas (CRA-PR 25.968). Delegado do CRA/PR em Ponta Grossa, Consultor de empresas, professor universitário e autor do livro Arrebentando Paradigmas (2ª edição - Editora All Print). Entre em contato com o autor para consultorias e palestras no e-mail sditkun@yahoo.com.br

COMPARTILHAR

ENVIE SEU COMENTÁRIO

NOME:
EMAIL:
MENSAGEM:
*Seu comentário será avaliado e aprovado antes de ser publicado. E somente aprovaremos comentários com o nome completo e o e-mail do leitor.
13/07/2016

O verdadeiro culpado pelo fracasso profissional

Pesquisa mostra que taxa de empreendedorismo no Brasil é a maior em 14 anos! Esse chamado é o título de uma reportagem editada pela UOL – São Paulo no inicio deste ano, 2016.

Se perguntássemos qual é o sonho do brasileiro, provavelmente a maioria das respostas seria ter um negócio próprio. Mas, o quanto estas pessoas estão dispostas a pagar o preço pelo sucesso?

Todos querem ter sucesso em seus empreendimentos, mas poucos se dedicam tempo suficiente para obter os resultados esperados. Poucos dedicam tempo para estudar os grandes empresários que ganham fortunas e muito, mas muito poucos compreendem que para ter sucesso em seu empreendimento é preciso ser, além de estudioso, ser um bom vendedor.

Mas as pessoas dizem “eu não gosto de vender”, “vendas não é comigo”, “não levo jeito para isso” e outras tantas frases deste tipo que não compensa ficar descrevendo aqui porque o leitor já as conhece.

Todo dia alguém está vendendo algo! Até àquele que disse não gostar de vendas!

Ao sair de casa escolhe determinada roupa, perfume, maquiagem, cabelos, etc ... porque quer passar uma boa imagem, ou seja, que o outro queira “comprar” a atenção para que possa oferecer aquilo que planejou oferecer. Seja o trabalho em troca de dinheiro, um elogio ou até mesmo despertar inveja no outro. Mas alguma coisa tinha em mente quando se arrumou ao sair de casa.

Os líderes precisam ser bons vendedores para convencer à equipe a comprar sua ideia e auxiliá-lo no alcance das metas. O apaixonado precisa ter bons argumentos e comportamentos ao tentar convencer a pretendida de que ele é o melhor partido, enfim ...vendas, vendas e mais vendas.

Todos querem ficar ricos, mas fazer o que os ricos fazem é outra conversa.

Presencio isso com muita frequência nos grupos de marketing de rede que é rentável, requer dedicação, muito estudo e escutar àqueles que venceram no negócio. Parar para ouvir o que eles têm a dizer é difícil para as pessoas que não estão dispostas a estudar! Mas querem ter sucesso!!

Quando se quer vencer uma corrida para quem se deve pedir conselhos? Obviamente para um corredor experiente que já venceu corridas! Mas nem o obvio é óbvio para os preguiçosos que querem resultados sem realizar nenhum esforço. Vez em quando resolvem escutar o conselho do corredor experiente, mas não aplicam suas orientações e aí culpam dizendo que é o sistema que não funciona .... culpam tudo e todos, menos a eles mesmos.

Há muitas pessoas reativas em todos os lugares. Os reativos sempre esperam mudanças nos outros e nunca neles mesmos. Muitos ficam indignados com a corrupção em nosso país, mas são os primeiros a tirar vantagem quando lhe convém. A ética só vale para os outros, mas nunca para o reativo!

Alunos em sala de aula colocam nomes dos seus colegas na lista de chamada quando os mesmos não estão presentes... Ficam nos celulares quando é momento de discussão de assuntos pertinentes à profissão... reclamam do trabalho que o professor passa em sala de aula... colocam a culpa no professor... e nunca assumem o seu papel de acadêmico e leva os anos na faculdade no mais ou menos.... aí se tornam profissionais mais ou menos, perdem as vagas por não saberem “vender o seu peixe” e porque demonstram incompetência no momento do processo seletivo. Os reativos não tem coragem de assumir seu papel na sociedade como cidadão, como acadêmico e como profissional.

Pergunte qual é o sonho deles!! Ser um empreendedor, ganhar muito dinheiro! Ganhar... ganhar...percebeu? Ele diz ganhar dinheiro e nunca ... obter lucro do meu esforço! Eu também quero “ganhar dinheiro”... alguém aí distribuindo dinheiro?

Segundo o economista Fabrício Nascimento “A parte gerencial é de domínio do empreendedor, mas, muitas vezes, o micro ou pequeno empreendedor não tem um planejamento do negócio bem definido e não avalia as oportunidades do mercado. Isso o torna mais vulnerável em momentos de retração financeira, quando se apresentam dificuldades sobre as quais ele não tem domínio, como o câmbio desfavorável, os juros altos e a redução de crédito”, disse o analista em entrevista para “O Correiro”.

A filosofia do ganhar dinheiro faz com que muitos empreendedores deixem de estudar o negócio, deixem de ler livros, deixem de escutar outros empreendedores de sucesso, deixem de ir à convenções, a reuniões de negócio porque pensam que basta abrir um negócio e esperar que ele lhe dê dinheiro. Dar dinheiro... isso nunca vai acontecer ... mas fazer dinheiro com o negócio aí é outra conversa!!

Boa semana e boa sorte!

Sobre o Autor

SÉRGIO DITKUN é Administrador de empresas (CRA-PR 25.968). Delegado do CRA/PR em Ponta Grossa, Consultor de empresas, professor universitário e autor do livro Arrebentando Paradigmas (2ª edição - Editora All Print). Entre em contato com o autor para consultorias e palestras no e-mail sditkun@yahoo.com.br

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS

ENVIE SEU COMENTÁRIO

NOME:
EMAIL:
MENSAGEM:
*Seu comentário será avaliado e aprovado antes de ser publicado. E somente aprovaremos comentários com o nome completo e o e-mail do leitor.
05/04/2016

O segredo para o sucesso da Consultoria Empresarial

Em tempos difíceis alguns empresários acreditam que chegou o momento de contratar uma consultoria empresarial para auxiliá-lo na retomada de crescimento. Isto é um fato! Mas por que algumas consultorias dão certo e outras não?

A resposta é mais simples do que parece. As que dão certo têm plena consciência do seu verdadeiro papel e responsabilidades, já as que falham acreditam que a responsabilidade pelo sucesso da consultoria é 100% do consultor! Um terrível engano do contratante que pensa dessa forma ingênua!

O consultor tem sim suas responsabilidades, mas ele não é o fator chave para a tomada de decisão. O contratante é. Por uma razão muito simples, a empresa é do contratante e não do consultor. Entender este paradigma às vezes é difícil para o empreendedor que está buscando se profissionalizar e tornar-se um empresário.

Há muitos empreendedores que não são empresários e também há empresários que possuem pouco espírito empreendedor. Ambos precisam aprender a se desenvolver nas áreas que consideram frágeis. O empreendedor precisa aprender mais sobre gestão e o empresário conservador um pouco mais sobre investimentos e apostar mais no negócio. Cada um tem desafios a serem trabalhados e desenvolvidos e ambos requerem abordagens diferentes.

Santo de casa não faz milagres, mas percebe onde precisa de um milagre! O que lhe falta agora é compreender o seu papel neste processo que uma consultoria propõe. Também não está sendo afirmado aqui que a consultoria faz milagres. Algumas empresas que passaram por um processo de consultoria que cumpriram seu papel no processo de consultoria chegam afirmar que foi feito um milagre, mas este mérito é de todo o empresário que cumpriu seu dever.

O consultor empresarial transforma a mentalidade de quem o contratou e este ao mudar de postura muda a dinâmica da empresa e os resultados começam a aparecer naturalmente.

Este tempo que vivenciamos é o momento de encontrar alternativas, reduzir desperdícios e alavancar as vendas por meio de estratégias assertivas.

Vamos rever suas estratégias e planejar o futuro da organização?

Na dúvida em como realizar o planejamento estratégico de sua organização chame o consultor.

Boa semana e boa sorte!

Sobre o Autor

SÉRGIO DITKUN é Administrador de empresas (CRA-PR 25.968). Delegado do CRA/PR em Ponta Grossa, Consultor de empresas, professor universitário e autor do livro Arrebentando Paradigmas (2ª edição - Editora All Print). Entre em contato com o autor para consultorias e palestras no e-mail sditkun@yahoo.com.br

COMPARTILHAR

ENVIE SEU COMENTÁRIO

NOME:
EMAIL:
MENSAGEM:
*Seu comentário será avaliado e aprovado antes de ser publicado. E somente aprovaremos comentários com o nome completo e o e-mail do leitor.
- As informações e conceitos emitidos em colunas, matérias e artigos assinados são de inteira
responsabilidade de seus autores, não representando necessariamente a opinião do Plantão da Cidade.