Licitação define empresa que fará projeto da Casa de Custódia

A licitação realizada nesta segunda-feira (19) definiu a empresa que irá realizar os projetos de adequação para a construção da Casa de Custódia de Ponta Grossa. A empresa Tecnoplan, de Curitiba, venceu essa etapa e realizará o projeto por R$ 61.270. No início do mês os deputados Marcio Pauliki e Plauto Miró Guimarães já tinham garantido junto aos órgãos de segurança do Paraná a construção da unidade carcerária e antecipado a realização deste processo licitatório.

“Fico muito feliz por este projeto estar finalmente saindo do papel. Essa é uma conquista de toda comunidade. Buscar soluções para o problema da superlotação do sistema carcerário significa dar mais segurança a toda comunidade, com redução de fugas e de rebeliões, por exemplo”, ressalta Pauliki, que luta pela implantação da Casa de Custódia desde quando foi presidente da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (Acipg), em 2010.

Passada essa etapa do projeto, que deve durar 120 dias após a homologação da empresa vencedora, será realizada a licitação da construção da Casa de Custódia, que abrirá cerca de 750 novas vagas no sistema penitenciário da cidade. A construção da unidade carcerária tem um orçamento total aproximado de R$ 10 milhões.

“Existe um projeto padrão realizado pelo Estado. Vamos trabalhar nesse projeto e adaptá-lo ao terreno de Ponta Grossa, com suas variações de topografia e geologia”, explica o diretor da empresa Tecnoplan, José Eduardo Gastaldi.

Pauliki ainda deve anunciar esta semana outras novidades relacionadas à segurança pública.

Com informações da Assessoria de Imprensa

%d blogueiros gostam disto: