Inovação foi o tema de abertura do 1º Congresso Acadêmico de Medicina da Unimed Ponta Grossa

Inovação no sistema de saúde. Esse foi o tema que abriu o 1º Congresso Acadêmico de Medicina da Unimed Ponta Grossa na noite de quarta-feira (30). O evento, realizado no Hotel Bourboun e em parceria com a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), reuniu acadêmicos de medicina da cidade e também de faculdades de Curitiba.

A palestra que abriu a atividade foi “Inteligência Cognitiva e Segurança do Paciente” com o Jacson Fressatto, um analista de sistemas que criou o projeto “Sonho de Laura” em homenagem à sua filha, que morreu aos 18 dias de vida vítima de infecção generalizada. O empreendedor contou sobre como desenvolveu o Robô Laura, uma ferramenta que ajuda profissionais da área da saúde a detectar a sepse. A síndrome surge como resposta do organismo do paciente a um quadro médico conhecido como “infecção generalizada” e pode levar a falência de vários órgãos.

É por meio da leitura dos exames e dados vitais, em tempo real, que o robô Laura avalia o estado de saúde do paciente e identifica os sintomas da sepse. Se os dados demostrarem que o paciente está em sepse, o gerenciador ativa imediatamente a equipe de médicos e enfermeiros de forma rápida, segura e precisa.

“O robô Laura é o primeiro robô cognitivo gerenciador de riscos do mundo e foi criado em Curitiba. Nossa meta é usar essa tecnologia de ponta para reduzir em pelo menos 5% a mortalidade por sepse grave no Brasil e com isso impactar na redução da mortalidade materna e infantil”, afirma Jacson.

Para o criador do Laura, o mercado brasileiro vive um bom momento, mas ainda tem atrasos quando se fala em tecnologia de base dos sistemas de saúde. “Saúde e tecnologia andam juntas, uma não existe sem a outra, e o projeto Sonho de Laura existe justamente para exponenciar a tecnologia dentro dessa área”, aponta o empreendedor.

O Congresso

O evento, organizado pela Unimed Ponta Grossa, acontece do dia 30 de agosto a 01 de setembro no Hotel Bourboun, em Ponta Grossa. O diretor da cooperativa, Rafael Francisco dos Santos acredita que a atividade reforça a importância que a Unimed dá aos estudantes que ainda estão na universidade. “É muito claro, pelo número de acadêmicos reunidos aqui, que a nossa cooperativa precisa valorizar esses novos profissionais. São eles que nos darão sangue novo, oxigenação e trarão inovação para a Unimed Ponta Grossa no fututo”, aponta o diretor.

 

 

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: