IAP realiza visita técnica e deve emitir licença de instalação de usina fotovoltaica em breve

Técnicos do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) estiveram em Palmeira na manhã de segunda-feira (13) para realizar a primeira visita técnica no terreno em que serão instalados painéis de energia fotovoltaica, as margens da BR 277, no local onde funcionou o antigo abatedouro.

Com a visita técnica, o empreendimento deu um passo importante para obter a Licença de Instalação, a qual segue por trâmites internos no IAP e deverá ser emitida na primeira semana do mês de dezembro. Assim que recebida a licença, a empresa fica apta para iniciar as obras no local.

A equipe técnica do IAP que participou da visita técnica foi composta por Sonia Mara Dalledone, engenheira florestal, Jean Carlos Helferich, economista e coordenador da análise do Relatório Ambiental Simplificado (RAS), Noeme Moreira de Oliveira, socióloga, Luciane Fernandes, engenheira ambiental, e Sandor Sohn, engenheiro florestal.

A Fractal Meio Ambiente, empresa que está efetuando os projetos ambientais e atuando junto ao IAP para o licenciamento, também acompanhou a visita, através de Debora Gomes, engenheira ambiental e coordenadora do RAS, Laura Mezzaroba de Lima, engenheira ambiental e da equipe técnica do RAS, além de Daniel V.M. Gurski, engenheiro ambiental e da equipe técnica do RAS.

Fernando Augusto Filho, presidente da FAAD Consultoria e Planejamento, empresa do Brasil que está coordenando o consórcio dos investidores, e o diretor administrativo Reginaldo Vasconcelos, também acompanharam a visita, assim como o secretário municipal de Industria e Comércio, Jaudeth Ramos Hajar, e o diretor da pasta, Eloir José Voichicoski.

Segundo Hajar, caso a Licença de Instalação seja emitida na primeira semana de dezembro, a usina deverá estar concluída ainda no primeiro semestre de 2018. “A visita técnica é um dos passos importante para a execução total da obra. Se todos os prazos seguirem como está previsto, a obra levará seis meses para ser concluída”, revelou.

Usina

A usina será instalada em terreno de 113 mil metros quadrados e produzirá até 7.3 megawatts de energia em períodos de 8 a 12 horas de funcionamento.  A energia produzida pelos painéis solares atenderá exclusivamente ás indústrias do Paraná.

Em um primeiro momento o município terá um retorno em termos de Imposto Sobre Serviços (ISS) e Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS), além de o projeto também contribuir com vagas de emprego direto.

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: