Coluna Politica & Cotidiano – Quinta-feira, 03/08/2017

Desculpas

Sargento Guiarone

O vereador sargento Guiarone (PROS) subiu à Tribuna na sessão ordinária da Câmara na quarta-feira, 2, para desculpar-se junto aos seus pares pelo comportamento que teve na sessão de segunda-feira, 31, ocasião em que disse que estaria disposição para embate físico e mesmo para trocar tiros com quem quisesse tirar satisfações sobre o discurso que pronunciara. Guiarone estava revoltado por não estar incluído na Comissão Especial de Investigação criada a sua solicitação, para averiguar denúncias de irregularidades na coleta e reciclagem de lixo por parte da empresa Ponta Grossa Ambiental (vide matéria deste Plantão da Cidade).

Corregedoria

Pietro Arnaud (REDE) pediu à Mesa Executiva que solicitasse aos líderes de partido a indicação de nomes para compor a Corregedoria da Casa, a qual preside. O fato de esse pedido ter sido apresentado em meio à repercussão do discurso de Guiarone mencionado acima não é mera coincidência.

Só de ida

George de Oliveira

George Luiz de Oliveira (PMN) deseja ao prefeito Marcelo Rangel de Oliveira (PPS) uma boa viagem à Coreia do Sul; mas somente de ida. O prefeito está autorizado a ausentar-se do País pelo período de dez dias. A justificativa é a de contatos com empresários e visitar empresas. Uma comitiva de empresários coreanos já estiveram visitando Ponta Grossa e mostraram-se interessados em investir no Município. George, juntamente com Ricardo Zampieri (SDD) votou contra a viagem porque entende que ela será inútil, como já foi a que o prefeito realizou ao continente europeu em seu primeiro mandato, passando por Alemanha e Inglaterra (vide matéria em Política). A data da viagem à Coreia do Sul ainda não está definida.

Campeão em faltas

Apontado pelo Observatório Social como o vereador mais faltoso do semestre nessa legislatura, o Pastor Ezequiel (PRB) reclamou pelo fato de o presidente dessa instituição, Ney Nóbrega, ter divulgado na mídia esse fato, sem, no entanto, explicar os motivos de sua ausência.

Ezequiel destaca ficou ausente de cinco sessões. Todas as ausências foram justificadas. Quatro delas foram a trabalho parlamentar, os quais alcançaram seus propósitos. Instou junto ao Governo a reposição de viaturas da Patrulha Escolar, o que já foi realizado, com a entrega de dois veículos zero quilômetro. Também estão garantidas as instalações de quatro academias ao ar livre. A quinta ausência, admite, teve caráter pessoal. O pastor viajou a Santa Catarina para acompanhar evento evangélico de sua Igreja, não se utilizando de diárias, o que, diz ele, seria, sim, reprovável.

Falta X ausência

O presidente da Câmara Vereadores, Sebastião Mainardes Junior (DEM) criticou o modo como o Observatório Social trabalha e divulga seus dados. Esclarece que ausência justificada não se confunde com falta. Para ele, o Observatório Municipal só bate na Câmara Municipal. Nunca se vê apresentação de dados sobre os trabalhos do Executivo ou do Judiciário. O Observatório Social também não relata integralmente o trabalho do vereador.

Mainardes diz que o trabalho do parlamentar não se resume em atuações nas sessões, mas suas ações se estendem ao atendimento pessoal de populares que o procuram, trazendo seus problemas. Destaca que vereador exerce o cargo 24 horas por dia, inclusive aos sábados e domingos, defendendo que o cidadão tenha o seu direito à saúde, à assistência social e mesmo ao atendimento jurídico garantido.

Nenhum funcionário do Observatório Social chega à Câmara Municipal para fotografar o edil ou seus assessores trabalhando desde a manhã nem acompanha o parlamentar em visitas aos bairros e às secretarias, tudo em bem da população.

 

 

 

%d blogueiros gostam disto: