Cesta básica tem queda de 0,21% em outubro

A cesta básica apresenta preços médios de 34 produtos considerando a faixa de renda de um a cinco salários mínimos

O custo médio da Cesta Básica de Ponta Grossa apresentou uma queda de 0,21% em outubro, conforme dados divulgados pela equipe do Núcleo de Políticas Públicas Rouger Miguel Vargas (NPPRMV) da UEPG. A compra dos 34 produtos que compõem a cesta passou a custar R$ 545, 88 na primeira semana de novembro; no índice anterior, o custo foi 547,01. Dos produtos constantes da cesta, 17 itens tiveram alta; 16 registram redução nos preços. Apenas um produto, o pão, teve preço inalterado. O produto que apresentou maior alta foi a batata, 67,72%; e o de maior queda a banana, 17,25%.

Quando da análise das variações registradas anteriormente, a equipe do NPP conclui que o grupo que mais aumentou foi o de hortifrutigranjeiros (8, 14%). No grupo, o produto de maior elevação a batata (67,72%), o de maior queda a carne (6,90%) e o produto com a maior baixa, a banana (17,25%). O grupo alimentação geral apresentou alta de 0,63%, com o extrato de tomate como o produto que registrou a maior variação positiva (10,93%); e o açúcar a maior variação negativa (17,25%).

O grupo carne teve uma queda de 6,90%, sendo a carne bovina a com maior variação negativa (8,85%), enquanto o frango fica com a menor variação negativa (0,84%). Com aumento de 0,98%, o grupo higiene tem o dentifrício como o produto de maior variação positiva (15,44%); e o de maior variação negativa foi o papel higiênico com queda de 8,36%. O aumento do grupo limpeza foi de 0,97%, registrando a esponja de aço como o produto de maior variação positiva (8,35%); e o sabão em barra como o produto de maior variação negativa (2,72%).

O valor da cesta básica é de R$ 545,88 – e o salário mínimo de R$ 937,00, como mostra o NPP. Desse modo, para uma família com renda de apenas um salário mínimo o valor da cesta básica equivale a um gasto de cerca de 58,26% de sua renda. Quando se relacionam famílias de dois, três, quatro e cinco salários mínimos, observa-se que, para a aquisição da cesta básica, despenderiam 29,13%; 19,42%; e 1l, 65% de sua renda, respectivamente.

Como observam os pesquisadores do RMV, os preços promocionais nem sempre refletem a realidade. Isso porque alguns produtos foram encontrados mais baratos que em estabelecimentos em que estavam em promoção. O índice de outubro da cesta básica corresponde ao período da primeira semana de outubro – com a primeira semana de novembro de 2017.

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: